Contos da Maux

A Letra AGÁ


Márcia estava lendo um livro e viu as seguintes palavras:

hoje, herói, hortelã, horta, hortência.

Mostrou-as a sua irmã e disse:

- Mara, você já viu como a letra    é preguiçosa?
Ela não trabalha, não tem som. Tanto faz que esteja ou não na palavra.

Mara respondeu:

-É mesmo, Márcia. Ela parece uma parasita, pois só fica grudada nos outros.

A letra      que estava ouvindo a conversa, ofendeu-se e retrucou:

 - Vocês estão muito enganadas. Eu não sou parasita. Nestas palavras eu estou ajudando as outras letrinhas. Elas precisavam de uma muletinha e eu me ofereci...
Não tenho som próprio, porque o verdadeiro bem se faz em segredo.
Se eu aparecesse, todos saberiam que sou uma letra caridosa.
Acostumei-me a ajudar sem me mostrar, ficando escondida. Vocês já me viram em outras palavras.

 

Posso ser em:

ninho, Joãozinho, Marinha, galinha.

 

Posso ser       em:

milho, filho, galho, malho.

 

Posso ser       em:

flecha, pecha, mecha, chato, tacho.

 

Como vêem, vocês já me conheciam e sabiam que eu trabalho bastante. Apenas estavam esquecidas.

Mara e Márcia pediram desculpas  à letra   

 

Veja se você acerta as palavras com     :

aranhinha - arranhou - bacorinha - casinha - chatinha 
chavezinha - choupana - chouriço - enchente - enchimento
escolinha - falha - falinha - gatinha - hoje - hombridade
homenagem - hortelã - latinha - malinha - maninha - milheiro
palhinha - rachadura - rebanho - sabichão -  salsichão
 tachada - talhada - unha - vergonha - vinho - vizinho

Cartilha Moderna - 1966
Autora: Maria Auxiliadora Leite Mota (Maux)
Escola Normal "Duque de Caxias" - Piquete, SP

Texto protegido pela Lei de Direitos Autorais

 

 

 

Voltar