Aventuras de Pedro Malasartes

 

 

PEDRO MALASARTES NO CÉU
Amadeu Amaral - Tradições Populares

 

 

Andando Malasartes por uma estrada, encontrou-se com um pobre, que lhe pediu esmola. Deu um vintém ao pobre, e este que não era outro senão Nosso Senhor fez-lhe presente de um gorro vermelho, declarando-lhe que só ele Malasartes e ninguém mais poderia pôr a mão naquele objeto. 

Tempos depois, cansado de vaguear pelo mundo, entendeu Malasartes de dar um passeio ao céu. Para lá se encaminhou, e depois de três dias de viagem batia no portão de São Pedro.

O santo porteiro perguntou lá de dentro quem era, e ele respondeu. Perguntou o que desejava e ele respondeu. O santo negou-lhe a permissão pedida, mas o viajante tanto rogou, tanto chorou que ele sempre consentiu entreabrir a porta para que espiasse um pouco.
Mal vê a fresta, Malasartes atira o gorro pra dentro e começa a gritar:
- Quero o meu gorro, quero o meu gorro!
São Pedro prontifica-se a ir buscá-lo, mas o burlão protesta:
- Não pode ser, só eu posso pegar no meu gorro. Ninguém mais, só eu. São ordens de Nosso Senhor.
São Pedro tratou de certificar-se da verdade, e veio a saber que Malasartes não mentia. Não havia outro remédio: deixou-o entrar para apanhar o gorro.
Assim Malasartes conseguiu entrar no céu. Mas não se demorou lá muito tempo...

Entrou por uma porta e saiu por outra.
Quem quiser que conte outra

 

Voltar