Aventuras de Pedro Malasartes

 

Compiladas por Luiz da Câmara Cascudo

 

 

 

 

Órfão de pai, Malasartes viu morrer sua mãe, ficando muito triste. Sendo ardiloso por natureza, do próprio cadáver quis aproveitar e ganhar mais dinheiro. Saiu com ele e escondeu-o nuns capins, perto de um pomar.
O dono desse pomar era homem rico e violento, tendo comprado uma matilha de cachorros ferozes para a defesa das frutas. Ao anoitecer, Malasartes levou o corpo da velha e sacudiu-o por cima da cerca.
Os cachorros acudiram imediatamente ladrando e mordendo. 

Nesse momento, Malasartes começou a gritar pelo dono do pomar. Quando este apareceu, acusou-o de haver assassinado sua mãe, velhinha inofensiva que entrara no sítio para apanhar um graveto de lenha.
Sabendo da ferocidade dos cachorros, Malasartes correra para impedir mas já chegara tarde.
O dono do pomar, cheio de medo, pagou muito dinheiro a Malasartes, e ainda encarregou-se de enterrar a pobre velha, com toda a decência.

Entrou por uma porta e saiu por outra.
Quem quiser que conte outra

 

Voltar