A Bruxa

Velha má e horrorosa,
rude, seca, mal amada,
ela é tão poderosa,
mesmo feia e desdentada!

Verrugoso e adunco,
seu nariz, no caldeirão,
vai cheirando os ensopados
de lagarto e escorpião.

Há quem jure tê-la visto
na vassoura bem montada
a voar, o velho mito,
ressoando gargalhadas.

Dita a velha tradição
que, depois de seis irmãs,
a seguinte nasce bruxa,
esta é a maldição!

Hoje, em muitos povoados,
vilarejos ou cidades,
sempre há uma mulher
a fazer muitas maldades.

Curiosa a examino,
procurando-lhe a verruga
mas, às vezes desanimo,
ela só é nariguda!

Maria da Graça Almeida
Página formatada em 19 abr 2005

 

 

voltar