Crescer

De casinha, de boneca...
De menina bem sapeca
a brincar de esconder,
na pequenina cidade
onde a felicidade
era somente viver.

Ser cantora, bailarina...
Era o sonho da menina
que crescia sem sofrer.
A praça, o coreto, o realejo...
E apenas um desejo
de bem depressa crescer.

Cantigas de roda a cantar,
da briga do cravo e a rosa...
(Será que as brigas findaram?
Será que enfim se casaram
e tiveram mil cravinhos
e também tantas rosinhas?)

De querer ser um peixinho,
do fundo do mar te tirar
e contigo me casar.
Memórias de um tempo perdido,
porém nunca esquecido
por ter sonhado... e vivido!

Paisagens da vida a mudar...
Querer ser mulher, namorar
o garoto da esquina...
O banco da praça, o cinema...
Decorar o teorema,
prá à noite, poder sair...

Voltar para casa bem cedo,
mesmo assim, com muito medo,
do pai, o namoro, descobrir.
O primeiro bolero dançado...
O beijo, que foi roubado...
Viver... amar... e sorrir!

Autor desconhecido
Página formatada em 10 jul 2004

 

voltar