Uma História de Princesa

Era uma vez uma menina chamada Isabella. Ela só tinha 5 anos. Era uma menina muito especial, só que ainda não sabia de um segredo que sua mãe fazia de tudo para ninguém contar. Um belo dia, Isabella foi brincar com sua amiga Ana Luiza. Elas se davam muito bem e a Ana Luiza quase deixou escapar o segredo e Isabella queria porque queria saber. O tempo foi passando até quando ela fez 15 anos. Sua mãe achava que estava na hora de contar. Ela fez uma promessa que quando Isabella fizesse 15 anos contaria que ela era uma princesa.  

Quando chegou a hora, sua mãe chamou todo mundo para o salão e anunciou:
 - Filha eu preciso te contar uma coisa
- Mãe, conta logo; eu estou ansiosa para saber.
- Então vou logo ao assunto: eu fiz uma promessa que quando você tivesse 15 anos eu ia contar que você era uma princesa.

Isabella ficou muito decepcionada! Ela não queria falar com ninguém mais. Chamou todo mundo no salão e falou:
- Eu sei que todos vocês sabiam, mas ficavam falando nas minhas costas e eu quero que todos vocês saibam que essa foi a pior festa de aniversário que eu já tive.
O tempo foi se passando, ela não agüentava ser chamada de majestade e  já tinha 18 anos quando recebeu a noticia que sua mãe tinha morrido.
Ela falou:
- Levem-me para o enterro da minha mãe.

 A coitadinha não parava de chorar. Tinha ficado mais decepcionada ainda: ela também queria morrer. Estava escurecendo e ela foi dormir. 
Teve um sonho muito agradável. Sonhou com a mãe que falava assim:
- Filha, não fique decepcionada pois ser uma princesa não é tão ruim assim como você pensa. Você pode ajudar as pessoas, pode arrecadar comidas, dinheiro. Isso é muito bom. Pode acabar com a violência e fazer várias outras coisas boas, só basta você querer.
Isabella acordou de madrugada muito assustada. Foi à cozinha pegar um copo d’água, chamou seu mordomo e ele veio correndo ver o que ela queria. Ela falou:
- Se alguém vier amanhã me procurar, fala que eu não quero receber visitas, que eu estou muito chateada. Eu não quero ver a cara de ninguém.
O mordomo falou pra si mesmo:
- O que deu nessa menina que sempre gostou de receber visita...
Estava amanhecendo. Isabella acordou e foi correndo ligar para a Ana Luisa contando do sonho e a Ana Luiza falou:
- Que sonho legal foi muito emocionante, né?
- Foi muito legal também minha mãe falando comigo, né? Eu vou ter que desligar que nós já estamos mais de meia hora no telefone. Tchau.
A princesa falou:
- Mordomo, me leve para o salão 3.
- É pra já, majestade.

 - Eu quero ver um negócio lá muito importante. Vamos e depois eu quero dar uma volta pelo castelo. Depois me leve à prefeitura que eu vou conversar um assunto com o prefeito.
Chegaram na prefeitura.
- O senhor prefeito está?
- Sim, pode entrar.

- Oi. Tudo bem prefeito? Eu vim conversar uma coisa com o senhor.
- O que se trata?
- Eu vim aqui falar para o senhor colocar um anúncio na cidade para todos comparecerem ao castelo no salão 3.
O dia foi se passando, estava escurecendo e a princesa foi dormir. Ela teve outro sonho esquisito. No sonho dela a mãe tinha feito uma pergunta para ela. A pergunta foi:
- Filha, você já falou com o prefeito?
Ela respondeu:
- Sim, mamãe. Já falei.
Isabella acordou muito assustada e depois foi dormir de novo. Quando acordou de manhã falou que nunca mais queria dormir. O mordomo perguntou por que e ela respondeu:
- Por que eu sempre sonho com a minha mãe e eu fico muito triste. Eu gostaria que ela estivesse aqui agora, mas o que importa é que eu vou ajudar as pessoas. Nossa! Quase me esqueci: eu preciso ir ao salão de festa 3 agora.

 - Oi gente, quase que eu me esqueci de vir aqui... Eu vim falar um negócio sério com vocês. Vim perguntar quem precisa de comida e dinheiro. Quem não está, quando precisar também pode vir aqui. Basta só falar com o porteiro que ele dará comida e dinheiro para todos. É só isso mesmo que eu queria falar. Tchau gente. Ah! eu tenho outra coisa para dizer: quem quiser falar comigo é só fazer uma fila e perguntar que eu responderei.
A fila tinha ficado enorme. Ela não agüentava de tantas perguntas, mas a que ela não gostou foi essa:
- Como você ficou quando sua mãe faleceu?
- Eu fiquei muito triste.
O tempo foi se passando, ela foi crescendo. 

Quando ela fez 24 anos, casou e se tornou a rainha do reino. Todos ficaram felizes.

Mônica Nunes Pazzini da Costa
9 anos

 

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá

 

voltar