GALO

Do alto da torre, esguio e férreo,
cantas sustenidos e bemóis,
nas madrugadas de primavera.
Nos ensolarados de verão,
buscas sons amarelos ocre de outono.
Nos aconchegos de inverno,
observas, atento, transformações
ocorridas nas estações da vida...

Ana Maria de Gouvêa (AG)
Página formatada em 13 jul 2004

 

 

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá

 

voltar