BODAS DE OURO

Beleza, juventude e a riqueza
compuseram dois seres de igual porte:
Yvonne e Mário unidos na certeza
que mil venturas lhes guardava a sorte.

Jovens e belos palmilharam a estrada,
deixando para trás a fantasia.
Sonhos perdidos nessa caminhada...
Na longa trilha nem sempre alegria...

Cinqüenta anos passados, ainda unidos.
É lindo aqui chegar multiplicados.
Sublime a construção de uma verdade.

Cinqüenta anos passados... não perdidos.
Que importa os sonhos não concretizados
se foi vivida toda a realidade?

Poema composto em 20 fev 1991
A
utora: Mª Auxiliadora Mota G. Vieira (Maux)
"Poemas de uma Vida"
Página formatada em 26 fev 2006

 

 

 

Voltar