NA ROTINA DA VIDA...

Na rotina da vida me perdi!
Olhos vazios de luz, mãos sem calor.
Bocas caladas de risos...
Na rotina da vida me entreguei!
Perdido o sonho, a ânsia de lutar,
esperando o futuro sem forma,
deixando o instante passar...
Na rotina da vida me esqueci!
Percorrendo estradas sem volta,
caminhando entre vultos sem nome,
vivendo sem nada a esperar...

Na rotina da vida me encontrei!
Revi meu rosto e o brilho.
Desenterrei quimeras...
Reconstrui os planos.
Despertei os sonhos.
Na rotina da vida me animei!
Vi crianças nascendo,
desabrochando em risos;
iluminando o sol, perfumando jardins...
Na rotina da vida me enxerguei!
- Sou hoje aquilo que outros também foram.
Meus filhos, o que eu fui...

Na rotina da vida percebi:
o mundo gira e tudo então retorna.
Os sonhos são iguais, as lágrimas e os risos.
 Idênticas as esperanças...
Na rotina da vida eu reencontrei
semelhante ternura e o mesmo desespero...
Na rotina da vida a eterna previsão:
mais adiante, além, outros risos e prantos,
novas luzes e sonhos... Tudo recomeça!
É a rotina da vida!...

Autora: Mª Auxiliadora Mota G. Vieira (Maux)
"Poemas de uma Vida"
Página formatada em 06 abr 2003

 

 

Voltar

 

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá