Nostalgia
Poema para a juventude de 1968, do Brasil 

Fragmentados sonhos,
ilusões perdidas,
esperanças vãs...
Retalhos coloridos,
rasgados doloridos,

de uma vida enganada...

Juventude passada,
beleza enrugada...
Alegrias sonhadas,
tristezas emprenhadas...

Toda a capacidade,
brilho e genialidade,
jaz desperdiçada...
- Num país sem futuro,
numa prisão sem muro,
numa noite sem vida
de uma vida sem sorte...

Autora: Mª Auxiliadora Mota G. Vieira (Maux)

"Poemas de uma Vida"
Página formatada em 06 abr de 2003

 

 

 

Voltar

 

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá