A NOVA MULHER

Era a mulher perfeita, decantada
por menestréis, poetas, trovadores.
Uma figura etérea, apaixonada,
um doce lenitivo para as dores.

A mãe, a esposa amada tão passiva,
que a todos, com carinho transbordante
- nunca sendo egoista nem lasciva -,
transmitia ternura contagiante.

Eis que os grilhões rompeu esta mulher!
Acorrentavam-lhe o corpo, a mente, tudo,
a uma imagem sem graça e sem poder.

Surgiu nova mulher brilhante e bela!
Não mais tem seu lugar no mundo oculto
mas... ela própria ainda não crê nela!...


Autora: Mª Auxiliadora Mota G. Vieira (Maux)
"Poemas de uma Vida"
Página formatada em 25 fev 2004

 

 

 

Voltar

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá