Primeira Desilusão

Porque o véu da tristeza a sombrear teu rosto?
Porque do olhar o brilho tênue a se apagar?
Teu sorriso magoado, um suspiro, o desgosto,
numa idade tão linda, com a vida a raiar...

Porque amar alguém se esse alguém é distante?
Porque sonhos de amor com quem não quer sonhar?
Não basta de esperar por um ser hesitante
incapaz de se dar, que tem medo de amar?

É preciso no mundo primeiro crescer.
Nada temer jamais, não fugir do momento;
sorrindo, amando e até aprendendo a sofrer.

Este primeiro amor há de perder o encanto.
Esquecida esta mágoa, findo o sofrimento,
um novo e lindo amor enxugará teu pranto.

Autora: Mª Auxiliadora Mota G. Vieira (Maux)
"Poemas de uma Vida"
Página formatada em 12 mar 2005

 

 

 

 

Voltar

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá