SER MULHER

É ser mulher a dádiva mais linda
que um corpo e um coração podem alcançar.
Ser mulher é ser astro, ser capaz
de resumir em si tudo que existe.
Ser mulher é ser sempre encantadora,
podendo despertar as mil paixões:
- do filho amado a mãe estremecida,
- do adolescente, o sonho sensual,
- do esposo terno, a esposa devotada,
- do amante ardente, a tépida parceira,
- do homem inteligente, a companheira.
Ser mulher e saber ser sempre tudo,
sem permitir jamais que as sensações
se definam, se formem, corporizem.

É ser a imagem materna, a que dá vida,
que embala o filho e aquece o enamorado;
é ter ao seio sempre, apaixonado,
um pequenino ser ou o homem amado...
Ser mulher é ser feita de carícias;
ser mulher é ser plena de delícias.
É beijar ternamente o seu amante;
é desejar como amante o namorado.
Ser mulher é viver prá ser amada;
ser mulher é morrer de dar amor.
É ser fraca e, sofrendo, reagir;
sorrindo, erguer os ombros, sobranceira,
conseguindo ser forte e então agir.

Ser mulher é ser doce, meiga e terna,
sabendo ouvir e até obedecer.
É ser forte mas frágil parecer,
ajudar a crescer, sem dominar.
É saber ser amiga e companheira,
ser gentil confidente ou conselheira;
um ser inteligente e racional;
é procurar ser sempre interessante,
ainda quando boneca social...
É calar quando fala o seu amigo;
é ser sempre a mulher ou mãe de alguém,
- a luz bruxuleante de uma vela
revelando uma peça rara e bela -
sabendo ser só ela, aquela chama
que norteia os destinos e ilumina a estrada.
Acreditando na vida e no que quer
ser mulher é poder ser tudo, sendo nada!
Ser mulher é saber ser nada, sendo tudo!

Autora: Mª Auxiliadora Mota G. Vieira (Maux)
"Poemas de uma Vida"
Página formatada em 26 fev 2006

 

 

Voltar

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá