UM OLHAR

Um olhar de repente,
ternamente...
Um olhar somente
que ninguém compreende,
que ninguém percebe
e quem vê, não entende...
Um olhar somente,
tão profundamente...
É um só olhar
que ninguém mais vê,
que ninguém mais sente
a não ser nós dois!

Eu e você, num instante,
assombradamente,
por um olhar somente,
vemos que da vida,
uma imensa ventura,
uma enorme ternura,
num só olhar pode ser resumida,
num só olhar pode ficar contida.
Num só olhar, querido, nada mais.

Num só olhar... Enfim,
para que mais se eu gosto de você?
Se o nosso olhar traduz
o que ninguém mais vê?
E se vê, não entende!...
pois ninguém compreende
o que você só diz ao olhar para mim -
e o que eu lhe digo só com o meu olhar.

Você aqui em frente
e um olhar de repente,
profundamente,
foi mais um olhar
INESPERADAMENTE!...

Autora: Mª Auxiliadora Mota G. Vieira (Maux)
"Poemas Adolescentes"
Página formatada em 22 fev 2004   

 

 

 

 

 

 

Voltar

 

 

 

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá