MITOLOGIA GREGA

 

 

 

AFRODITE

Afrodite nasceu das espumas do mar e é uma das doze divindades gregas do Olimpo, deusa da beleza, do amor e da fertilidade. Os órgãos sexuais de Urano, cortados por Cronos, foram jogados no mar. Aos poucos foi se formando uma espuma, originada dos testículos do deus. Desta espuma brotou Afrodite, a mais bela dentre as deusas, emergindo docemente, amparada numa grande concha de madrepérola.

Após surgir na superfície das águas marinhas, Afrodite foi levada pelos zéfiros que, soprando levemente, conduziram-na à Citera e depois à costa do Chipre, onde as Horas a receberam, vestiram e enfeitaram. Adornaram-lhe os loiros cabelos com singelas violetas, conduzindo-a depois para a morada dos imortais, no Olimpo. Apresentada à assembleia dos deuses, ouviu-se um geral clamor de admiração, pois mesmo no mundo divino jamais fora vista antes tão sedutora e graciosa formosura.


Afrodite é irascível e vingativa. Afrodite é a personificação do desejo, do amor e do prazer sensual.
Embora casada com Hefestos, o deus do fogo, Afrodite teve pelo menos dois amantes notáveis: Ares, o deus da guerra e Anquises, um descendente de Trós, o primeiro rei de Tróia. De sua ligação com Ares nasceram Eros, o deus que desperta paixões em homens e deuses com suas flechas; Fobos e Deimos, o medo e o pavor; e a bela Harmonia. De Anquises nasceu o herói troiano Enéias, considerado pelos romanos, ancestral de Rômulo e Remo, os míticos fundadores de Roma.

Afrodite é personagem de numerosas lendas e tornaram-se notórias as suas vinganças quando não reconhecida ou menosprezada por alguém.  Um dos episódios mais marcantes de sua biografia, foi o seu envolvimento com Ares. Tendo finalmente descoberto os amores de Ares e Afrodite graças a uma informação de Hélios, o Sol, Hefestos decidiu vingar-se. Armou em volta de seu leito uma rede invisível e inquebrável e, na primeira oportunidade, a armadilha se fechou e prendeu os dois amantes.

Hefestos chamou então os outros deuses que, ao verem Ares e Afrodite naquela situação embaraçosa, soltaram uma gargalhada inextinguível. Instado por Apolo — o único que não ria, Hefestos libertou os dois amantes e eles partiram, envergonhados.
Ares foi para a Trácia, provavelmente para se distrair com alguma guerra; Afrodite foi para Chipre.

De acordo com o malicioso Homero, ela só pensava em trocar de roupa e refazer a toalete... Zeus castigou Afrodite pelo vergonhoso caso onde ridicularizara seu esposo, fazendo-a apaixonar-se pelo mortal Anquises dando-lhe um filho, o heróico Enéias. Contudo, Afrodite também se vingou de Zeus, fazendo-o perseguir ninfas e mortais, de onde se originou a sua rivalidade com Hera, a ciumenta esposa do deus.

Talvez a lenda mais famosa sobre Afrodite diga respeito à Guerra de Tróia. Eris, a personificação da discórdia - a única deusa que não foi convidada ao casamento de Peleu e da ninfa Tétis - ressentida com os deuses, arremessou uma maçã dourada no corredor onde se realizava o banquete, sendo que na fruta estavam gravadas as palavras "à mais bela". Quando Zeus se recusou a julgar entre Hera, Atena e Afrodite, as três deusas que reivindicavam a maçã, pediram à Páris, príncipe de Tróia, para escolher a vencedora entre elas.

Cada deusa ofereceu à Paris um agrado: Hera lhe prometeu que seria um poderoso governante; Atena que ele alcançaria grande fama militar; e Afrodite que ele teria a mulher humana mais linda do mundo. Páris declarou Afrodite como a mais bela e desejou, como prêmio, Helena, a esposa do rei grego Menelau. O rapto de Helena por Paris, ajudado pela deusa, foi a causa da Guerra de Tróia.

 

 

 

Voltar

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá