MITOLOGIA

Lendas da Amazônia

 

Vitória Amazônica (Vitória Régia)

Há muitos anos, nas margens do majestoso rio Amazonas, as jovens e belas índias de uma tribo, reuniam-se para cantar e sonhar seus sonhos de amor.

Elas ficavam por longas horas admirando a beleza da lua branca e o mistério das estrelas, sonhando um dia ser uma delas. Enquanto o aroma da noite tropical enfeitava aqueles sonhos, a lua deitava uma luz intensa nas águas, fazendo Naia, a mais jovem e mais sonhadora de todas, subir numa árvore alta para tentar tocar a lua.

Ela não obteve êxito. No próximo dia, ela e suas amigas, subiram as montanhas distantes para sentir com suas mãos a maciez aveludada da lua, mas novamente elas falharam. Quando elas chegaram lá, a lua estava tão alta que todas retornaram à aldeia, desapontadas. Elas acreditavam que se pudessem tocar a lua, ou mesmo as estrelas, elas se transformariam em uma delas.

Na noite seguinte, Naia deixou a aldeia esperando realizar seu sonho. Ela tomou o caminho do rio para encontrar a lua nas negras águas. Lá, imensa, resplandecente, a lua descansava calmamente refletindo sua imagem na superfície da água.

Naia, em sua inocência, pensou que a lua tinha vindo se banhar no rio e permitir que fosse tocada. Naia mergulhou nas profundezas das águas desaparecendo para sempre.

A lua, sentindo pena daquela tão jovem vida agora perdida, transformou Naia em uma flor gigante - a Vitória Régia - com um inebriante perfume e pétalas que se abrem nas águas para receber em toda sua superfície, a luz da lua.

 

 

 

 

Voltar

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome


E-mail de quem a receberá