Sessenta e Cinco anos...

Sessenta e cinco anos... Mais que meio século, menos do que um...

Sessenta e cinco anos... Dizem ser uma bela idade! Bela idade se nos restam tão poucos anos agora? Será pelo registro dos muitos já passados?

Sessenta e cinco anos... Momento para analisar o já experimentado, sofrido, acrescentado, arrependido, modificado, enfim vivido...

Sessenta e cinco anos... Para enxergar cruamente as rugas em nossa face, nossos cabelos brancos, nosso vigor e beleza perdidos.

Sessenta e cinco anos... Para saudar o sorriso ainda presente em nosso âmago, para redescobrir e secar as lágrimas ocultas em nosso coração.

Sessenta e cinco anos... Para rever o brilho do Sol e o encanto da Lua, reativar nossos sonhos, desenterrar as esperanças.

Sessenta e cinco anos... Para acreditar no futuro, neste futuro que se renova nos pequeninos rostos encantadores de nossos descendentes.

Sessenta e cinco anos... Momento para sentir saudades dos que desfilaram por nossa vida, legando-nos o registro de suas lutas e conquistas, de seus erros e acertos.

Sessenta e cinco anos... Hora de perceber que o legado agora é construído por nós! Instante mágico em que enxergamos a célula básica oculta em nosso íntimo, distinguimos o que fizemos, construimos, perdemos, remontamos.

Sessenta e cinco anos... Descobrir que ainda há tempo para conquistar outros espaços, aprimorar e desenvolver aquele potencial que ficou esquecido.

Sessenta e cinco anos...

Página formatada em 02 nov 2013

 

 

 

 

 

 

Voltar