PIQUETE - CIDADE PAISAGEM
SUA GENTE

Anélio Fagundes Nunes

Nasceu a 20 de fevereiro de 1918, na região de Bella Union, República do Uruguai, foi registrado no Brasil, em Alegrete-RS, para onde a família veio quando ainda era menino. Aqui chegaram em 4 de março de 1925. O pai era capataz de fazenda e a mãe, Belmira Fagundes da Silva, era parteira e ajudava na ordenha do gado e na roça. Anélio é o quarto entre dez irmãos. Estudou até o 3° ano primário em uma escola de roça. Com 15 anos, devido ao seu porte físico, passou a ser jóquei. Alcançou grande sucesso montando cavalos de Felizardo Pio de Almeida, no município de Uruguaiana-RS. A 4 de maio de 1938, sentou praça no Regimento de Cavalaria do Exército, em Uruguaiana. Em 2 de maio de 1940, transferiu-se para o Serviço Geográfico e Histórico do Exército, com sede em Porto Alegre-RS. Em 31 de julho do mesmo ano, embarcou, de navio, para o Nordeste. Desembarcou no Recife a 17 de agosto. Seu Anélio iniciou um trabalho de levantamento topográfico dos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. A 6 de fevereiro de 1946, voltou ao Rio de Janeiro. De lá, veio para Piquete, onde chegou a 13 de março de 1946, como motorista do Exército. Aqui, decidiu dar baixa do Exército, o que fez em julho de 1946. Estabeleceu-se, então, em Piquete, começando a trabalhar, em julho de 1947, no 3° Grupo da Fábrica Presidente Vargas. Seu Anélio casou-se, em 3 de setembro de 1947, com Benedita Rosa Nunes. Dessa união nasceram 3 filhos, que lhes deram oito netos. Seu Anélio conta que presenciou, durante os anos de trabalho na FPV, 14 explosões. Em uma dela, em 2 de maio de 1951, acidentou-se e foi transferido para o Laboratório Químico. Como analista químico, prestou serviços por vários anos no tratamento de água da Piscina "General Aquino". Mais tarde, voltou para o laboratório da FPV, onde se aposentou, em 18 de abril de 1970. Permaneceu, ainda, por mais 08 anos como contratado. Seu Anélio sente-se orgulhoso por ter sido solicitado, por três vezes, por prefeitos como Luiz Vieira e Christiano Rosa, para acompanhamento, análise e cloração da água desta cidade, em épocas de grandes enchentes. Para a família, seu Anélio é exemplo de amor, comprometimento com a esposa e dedicação à família. Nele encontram um amigo sempre conselheiro, prestativo, alegre e otimista. Seu Anélio, para demonstrar a gratidão que sente pela "... cidade que o acolheu", publicou, em janeiro de 1977, no jornal Cidade Paisagem (ed. 270) um acróstico em que homenageia Piquete, cidade que tanto ama e onde criou raízes e gerou frutos.

"Gente da Cidade"
Jornal "O Estafeta" - Março de 2005


Anélio Fagundes Nunes em suas atividades na FPV.
Foto publicada no Jornal "O Estafeta"


Anélio Fagundes Nunes no casamento de sua filha Enir.
Foto do arquivo de sua filha Enir Cardoso.


Anélio e Benedita - que Deus os guarde em um lugar de paz e amor.
Foto do arquivo de sua filha Enir Cardoso.

 

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá

 

Voltar