PIQUETE - CIDADE PAISAGEM
SUA GENTE

Didi Ferreira

Foto escaneada do jornal "O Estafeta"

Expedicto Sebastião Ferreira, nosso querido Didi Ferreira, chegou a Piquete em 1939, vindo de Delfim Moreira, onde nasceu a 20 de janeiro de 1925. Filho de Benedito Rodrigues Ferreira e Rosina Cortez Ferreira, deixou sua cidade natal para cumprir uma tarefa que lhe fora dada pelo pai. A responsabilidade para um garoto era grande: administrar uma gleba de terra comprada em nossa cidade, que, mais tarde, seria batizada como "Fazenda Sertãozinho". O trabalho era pesado. Aos poucos, porém, foi se adaptando à distância e ao dia-a-dia da nova vida. Começaram a surgir novas amizades. Encontrou no Sr. Heitor Vilela Nunes um amigo e conselheiro. Ao final de cada jornada de trabalho buscava "... um dedo de prosa..." junto ao respeitável fazendeiro. Lembra-se, com muita emoção, desses momentos, dizendo que "...era recebido por todos com respeito e alegria..." O tempo lhe deu experiência e sua tarefa foi sendo cumprida cada vez melhor. As dificuldades foram muitas: o trabalho diário, cansativo, muitas vezes não surtia efeitos. Recorda-se, de certa época em que "... mesmo com todo cuidado e dedicação...", várias cabeças de gado de seu rebanho morreram. Preocupou-se de tal maneira, que pediu a seu pai, seu Dito Quinquim, que viesse para ajudá-lo. Ouviu vários conselhos, mas lembra-se especialmente de um: "...morreu, morreu! É assim mesmo. Já pensou se não morresse nenhuma? Este mundo teria muito gado e o preço iria lá pra baixo...!" O apoio do pai e dos amigos fez com que continuasse em sua luta. Em 1944, conheceu "uma linda morena", de nome Terezinha Costa Ferreira, com quem se casou há 55 anos. Dessa união resultaram 9 filhos: Carlos, Antônio, José, Paulo, Dinarte, Rosa, Fátima, João e Roberto, 20 netos e 5 bisnetos. Em 1958, com os filhos em idade escolar, deixou a fazenda para fixar residência na cidade. Ao longo dos anos, foi adquirindo terras de seus vizinhos, ampliando, assim, a Fazenda Sertãozinho e dedicando-se à pecuária leiteira. Em Piquete, seu jeito expansivo e alegre fez com que cultivasse um grande círculo de amizades. A proximidade de sua residência à Matriz - à Rua Cel. Luiz Relvas - fez com que se tomasse ativo participante das festas do padroeiro São Miguel. Foi festeiro várias vezes e fez parte da comissão que administrou as obras de sua construção. "Didi Ferreira" é figura marcante em nossa cidade, reconhecidamente merecedor do título de Cidadão Honorário de Piquete, concedido pela Câmara Municipal de Piquete, em 1999.

Jornal "O Estafeta"
Seção "Gente da Cidade" - dezembro de 2000
Página formatada em 06 de novembro de 2004


 

Voltar

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá