PIQUETE - CIDADE PAISAGEM
SUA GENTE

Nelo Pelegrine
O Capitão Perna de Pau

 

 


Elenco da peça "Pluft, o Fantasminha" encenada pelo Grupo ARTE, em 1961.
Foto enviada por João Gomes

 

Cabelo e barba brancos como algodão, óculos de aros grossos que emolduram grandes e expressivos olhos azuis. Uma boina e, na mão, uma nobre bengala. Tem um estilo próprio que o destaca. É figura ímpar nas ruas de Piquete. Nelo Pelegrine (com "e" no final, culpa do tabelião...), piquetense de coração e por merecimento, reconhecido pela municipalidade: é Cidadão Honorário e possui a Ordem do Mérito Municipal. É portador, também, da Comenda de Cavaleiro da Ordem do Mérito Militar, a mais alta condecoração do Exército Brasileiro.Nascido em Guaratinguetá, em 04 de janeiro de 1934, filho de Jacinto Pelegrini (com "i" no final... é italiano...) e Maria Aparecida Galvão Pelegrine (de novo o tabelião...), Nelo Pelegrine veio para Piquete em 1942 - depois de passar por uma colônia de italianos próxima a Sorocaba, e por Lorena -, acompanhando o pai que iria trabalhar na FPV. Iniciou seus estudos em Guaratinguetá e os terminou em Piquete. Lembra-se, com carinho, da Escola Agrícola de Piquete, da qual foi um dos alunos fundadores, junto com os colegas "... dos quais lembro-me apenas dos apelidos..." Titã, Lamartine, Zé Coruja, Vavá... Completou seus estudos com quase quarenta anos, na Escola Leonor Guimarães. "Fiz um excelente colegial. Tanto que ministrei aulas de Matemática para os companheiros operários, à noite. Para isso tive que fazer um curso de Matemática Profissionalizante no SENAI." Seu trabalho na FPV se iniciou como aprendiz da Escola Agrícola e seguiu até a aposentadoria, em 1988. Nelo casou-se com a profª Wilma Costa, em 04-01-1959. São 41 anos de união que lhe deram três filhos e dois netos.


"Pluft, o Fantasminha" - 1961. Nelo como o Capitão Perna de Pau arrasta a Menina Maribel representada por Cecília Masiero. Escondido, o fantasminha Pluft (Maria Auxiliadora Leite Mota) assiste à chegada do Pirata.
Foto enviada por João Gomes

Pessoa culta, quando indagado sobre seu gosto pela Literatura, diz que "...minhas veleidades culturais vêm desde criança; sempre gostei de ler e escrever". Colaborou com vários jornais piquetenses. São conhecidos seus poemas e textos, que exalam lirismo e amor pela cidade e sua paisagem. Paisagem que ele cantou em verso e prosa quando compôs, em 1970, o hino vencedor de um concurso para escolha do Hino de Piquete. Sucumbindo à vaidade, orgulha-se de dizer que o júri era composto de ícones da cultura da região. Além do afago ao ego, "...recebi um bom prêmio em - dinheiro!"


Brilhante desempenho de Nelo como o Capitão Perna de Pau - 1961
Foto enviada por João Gomes

Fez parte, também, por muitos anos, do grupo "ARTE" - Artistas Reunidos do Teatro Experimental, com o qual representou várias peças. Além das artes, Nelo sempre foi um amante dos esportes. Praticou natação e "hipismo caipira" (cavalgadas), mas o judô, iniciado numa colônia japonesa próxima da italiana em que vivia, é sua grande paixão.


Nelo fotografado por lety


Década de 60
Foto retirada do site extinto
http://piquete.multiply.com

Fundou, junto com amigos, a Associação de Judô de Piquete; da qual foi o 1º Presidente e 1º técnico, e ficou a sua frente por vários anos até que passou o comando para o atual técnico.


Foto escaneada do Jornal "O Estafeta"

Enxadrista, foi campeão de Piquete e representou nossa cidade nos Jogos Abertos do Interior, em 1961, em São José do Rio Preto. Nelo diz que "viveu profundamente a cidade de Piquete". Seu amor pela cidade e suas "montanhas muralhas de picos alados" fica claro quando se percebe a emoção ao falar "... pisei todos os picos da cidade...", junto dos filhos, por várias vezes e durante vários anos. Hoje, já sem conseguir escrever e praticar esportes, continua enxergando Piquete de modo romântico e poético. "...Não consigo ver Piquete de maneira econômica ou política..." Nelo Pelegrine é exemplo de amor e dedicação a Piquete, a sua história e cultura, que deve ser seguido.

Texto publicado no Jornal "O Estafeta" - Seção "Gente da Cidade"
Página formatada em 25 set 2004

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá

 

Voltar