PIQUETE - CIDADE PAISAGEM
SUA GENTE

JOSÉ CUSTÓDIO DOS SANTOS
(Zé das Moças)

 

 


Zé das Moças, na Folia de Reis de 2006
Foto de Lety

 

José Custódio dos Santos, nosso conhecido "Zé das Moças", nasceu em 31/08/1938, em Piranguinho, Minas Gerais, filho do Sr. Antonio Custódio dos Santos e Benedita Maria de Jesus. Veio para Piquete com 14 anos de idade, sempre residindo à rua Capitão José de Brito, na Vila Barão. Estudou na EEPG "Prof. Darwin Félix". Sua inclinação para a área da saúde motivou-o ao curso de auxiliar de enfermagem, dedicando sua vida ao cuidado com os doentes. Trabalhou durante três anos na Santa Casa de Misericórdia de Lorena e na antiga Santa Casa de Misericórdia de Piquete, onde desenvolveu suas atividades por quinze anos. Trabalhou também na Prefeitura Municipal de Piquete e no Hospital da IMBEL. Homem simples e de gestos humildes, sempre dispensou atenção a todos que procuraram sua ajuda nos serviços de enfermagem. Muitas senhoras receberam sua visita diária para o acompanhamento vigilante da pressão arterial. Paralelamente às suas atividades profissionais destaca-se sua sensibilidade cultural, seu amor pela cultura de raiz. Amante do jongo, mantém viva esta manifestação popular desde os idos tempos com Seu Jacó,  dona Conceiçãozinha, e mais recentemente, Teresinha Generoso.


Imagem de São Benedito
Foto de Lety

 Nas festas religiosas em louvor a São Benedito, das quais inúmeras vezes foi festeiro, apresentava o jongo e o moçambique, que ia buscar em Minas Gerais e Lorena. Esses grupos até hoje se apresentam nas festas de São Benedito. Sua religiosidade e profissão de fé sempre despontaram nas festas profanas cristãs. Pertence à Irmandade de São Benedito e em todas as manifestações religiosas se faz presente. Gosta muito das festas juninas, embora tenha preferência pela Folia de Reis. 


Cavalaria de São Benedito, organizada por José Custódio dos Santos,
com moradores de Piquete, na década de 70.
Foto escaneada do Jornal "O Estafeta".

Na verdade o "Zé das Moças" aprecia todas as festas folclóricas. Sua alegria de viver extravasa-se na dança e na música. Carnavalesco desde criança, era comum vê-lo durante o reinado de Momo, fantasiado de baiana, dançando alegremente na frente dos blocos. Nossa homenagem ao "Zé das Moças" fundamenta-se no seu espírito de solidariedade humana, da prestação de serviços paramédicos à comunidade piquetense e na contribuição para a preservação das manifestações folclóricas de nossa terra. Aliás, o próprio "Zé das Moças" faz parte do nosso folclore e pela sua simplicidade os piquetenses lhe têm muito carinho.

Seção "Gente da Cidade"
Jornal "O Estafeta" - março de 1998
Página formatada em 23 jan 2006


Última imagem de Zé das Moças, falecido nos primeiros dias de agosto de 2008. 
Foto de Idelmo Reis.

 

Lírica para o Zé Custódio
(o "Zé das Moças'")

Para receber o "Zé das Moças"
Um cortejo de anjos se anuncia,
Já agora nomeado "Zé dos Anjos".

Solidária na Terra a trajetória
Entre os simples.
Construtor de memórias,
Fez da glória o perene, a História.

Ao Anjo Custódio se anuncia.
Similar ao homônimo, custodia.
De Custódio, o nome e a simetria.

Dóli de Castro Ferreira - Agosto de 2008
Em homenagem ao cultor das ações solidárias e da vida em comunidade.

 

 

Envie esta página para:

Digite o seu e-mail

Coloque seu nome

E-mail de quem a receberá

 

Voltar