PIQUETE - CIDADE PAISAGEM
História

Os Metodistas em Piquete


Igreja Metodista do Brasil em Piquete
Foto de Lety

A construção da Fábrica de Pólvoras sem Fumaça, em Piquete, no início deste século, atraiu grande número de operários para suas obras. Havia, entre eles, muitos evangélicos, de diferentes denominações - presbiterianos, batistas, metodistas que, por não haver nenhum templo, passaram a se reunir, para suas orações, na casa de um ou de outro. Em julho de 1929, os evangélicos reuniram-se em uma assembléia e, por influência do Sr. Misael de Carvalho, filho de pastor metodista, escolheram a congregação Metodista para denominar a que estava sendo organizada. No dia 29 de agosto de 1929, chegou a Piquete o reverendo Antônio Martins, da Paróquia Metodista de Taubaté, que realizou os ofícios pastorais e oficializou a escola dominical. Organizou a diretoria da Congregação, que seria administrada pela Escola Dominical Metodista de Piquete. Foi eleita a seguinte diretoria: Superintendente - Antônio Emydio; Secretário - Misael de Carvalho; Tesoureira - Maria do Carmo Emydio; Dirigente de Cultos - Manoel Gomes. Para as atividades de culto e Escola Dominical, subalugaram, de Jorge Marques, metodista, um salão da casa nº 6, sua residência, à Rua Comendador Custódio Vieira. A congregação permaneceu nesse local, desenvolvendo suas atividades, até dezembro de 1933.


Metodistas em Piquete
Foto gentilmente cedida por Maria Ribeiro

Nesse período, triplicou o número de seus membros: um dos fatores que contribuiu para esse crescimento foi o fato de que a Igreja Católica não tinha, por essa época, Casa Paroquial e padre residente no município, o que só ocorreu em 1934, com a chegada do padre João Guimarães. Em 1934, sob o pastorado do reverendo James L. Kennedy, a congregação passou à categoria de Igreja. Nessa época, organizou-se a Sociedade Metodista de Crianças e a Sociedade Metodista de Senhoras. Nesse mesmo ano, o Bispo César Dacorso Filho, primeiro bispo brasileiro da Igreja Metodista do Brasil,visitou a nova Igreja, recebendo, por profissão de fé, dez membros. O local não mais comportava o número de fiéis. A comunidade passou a discutir a construção de um templo. Ainda no pastorado do reverendo James L. Kennedy, a Igreja foi elevada à categoria de Paróquia. Em 15-06-1935, o reverendo Kennedy organizou a primeira comissão para a construção de uma igreja e adquiriu um imóvel situado à rua Major Carlos Ribeiro, n° 7, de propriedade do prof. José Ribeiro da Silva. Em 1936, o reverendo Vicente Pacitti foi nomeado o primeiro pároco para a Paróquia de Piquete. A partir de 12 de março desse mesmo ano, a Igreja passou a funcionar na nova propriedade, que passou a ser conhecida pelos fiéis como "Casa de Oração". Ainda em 1936, os metodistas receberam a doação de um terreno situado na Vila Esperança, do Sr. José Monteiro de Brito Júnior. No ano seguinte, o reverendo Pacitti tomou conhecimento de dois lotes situados à rua Cel. Luiz Relvas, s/n, de propriedade do Sr. José M. Brito Júnior, que os colocou à venda por 1.200$000 (Um conto e duzentos mil réis). Foi feita uma proposta de compra, em que o terreno recebido por doação foi devolvido ao antigo proprietário, como pagamento de um dos lotes, e a comunidade pagou o outro. Juca Brito aceitou a forma de pagamento e ainda auxiliou na elaboração da escritura e no pagamento da mão-de-obra e material de construção. Em 1938, foi nomeado para a Paróquia de Piquete o reverendo Jared Soares que, com toda a comunidade metodista, empenhou-se na construção do templo.


Pastor Nelson Lacerda e família
Foto cedida por Lety

O início das obras aconteceu em 1º de junho de 1938. Foi grande o empenho de toda a comunidade. No final de 1938, o reverendo Jared, no relatório pastoral, afirmava: "... A construção deste templo tem uma história interessante e gloriosa. Trabalhando materialmente, a Igreja nem por isso perdeu a espiritualidade. Há cultos todas as noites, em diversos pontos." Apesar dos esforços, não conseguiram inaugurá-la em agosto de 1939, como era desejado, data do 10º aniversário de sua fundação. Em 1940, teve início a fase de acabamento. A Sociedade Metodista de Senhoras nomeou uma comissão composta por Geralda F. Oliveira, Maria Rita Corrêa e Irene Corrêa de Castro, para falar com o Gen. Gomes Carneiro, diretor da Fábrica, sobre o término das obras, que tiveram início de imediato. Em "condições mínimas de acabamento" foi inaugurada, no dia 25 de agosto de 1940, a Igreja Metodista do Brasil de Piquete, transferindo-se, definitivamente, da "Casa de Oração" para o templo à rua Cel. Luiz Relvas.


Escola Dominical Metodista em Piquete
Foto gentilmente cedida por Maria Ribeiro

Destes 70 anos de historia dos Metodistas em Piquete, fica-nos o exemplo de tenacidade de seus membros que, apesar de numericamente poucos, sempre foram grandes em suas ações norteadas pela fé em Cristo.

Publicado no Jornal "O Estafeta" - agosto de 1999

Cruz e Chama

O simbolismo do emblema relaciona o homem com Deus, o Pai, através da segunda e terceira pessoas da Trindade: o Cristo (cruz) e o Espírito Santo (chama).


Igreja Metodista do Brasil em Piquete
Foto de Lety

 

Voltar

 

 

 

 

| Home | Contato | Cantinho Infantil | Cantinho Musical | Imagens da Maux |
l
Recanto da Maux | Desenterrando Versos | História e Genealogia l
l
Um Herói nunca morre l Piquete - Cidade Paisagem l
MAUX HOME PAGE- designed by Maux
2003 Maux Home Page. Todos os direitos reservados. All rights reserved.