PIQUETE - CIDADE PAISAGEM
História

Semana da Raça em Piquete

 

  

 Com a presença de autoridades civis, militares e escolares de Piquete e de fora, além de grande massa popular, a “Semana da Raça” tinha início no dia 1º de Setembro e era organizada pelo Departamento Educacional da FPV. A documentação fotográfica existente e o depoimento de muitos que participaram desses eventos na década de 1940 comprovam o brilhantismo dessa solenidade, que acontecia no Campo do Estrela. Os festejos eram abertos pelo professor presidente do Círculo da Juventude de Piquete, órgão do Departamento Educacional, que procurava evidenciar em seu discurso a responsabilidade dos adultos na formação das novas gerações, indicando ser dever de todos trabalhar para o desenvolvimento intelectual, moral e cívico da juventude. Dessa Semana participavam não apenas os alunos dos diversos cursos do Departamento Educacional, mantido pela Fábrica, mas também das escolas do município. 

Havia uma programação para cada dia, com provas esportivas disputadas pelos alunos: saltos de altura e extensão, torneio de futebol, vôlei, basquete, ginástica rítmica, corridas de saco, “do ovo”, “da agulha” e “do velocípede”... O encerramento das solenidades acontecia no dia 6 de setembro, quando eram entregues os troféus e prêmios conquistados nas competições da Semana. O Campo do Estrela ficava lotado com os alunos, os familiares e autoridades.

Um professor sempre chamava a atenção sobre o evento reforçando que a “Semana da Raça era voltada para que os jovens aprendessem a valorizar nossas tradições e o Brasil como Pátria. Não bastava nascer num país qualquer para tornar-se cidadão. Era preciso respirar o seu clima espiritual, sentir suas tradições e costumes, participar das suas horas de angústias e alegrar-se com as vitórias, trabalhando para sua grandeza”. A Semana da Raça, comemorada em todo o Brasil, foi criada por Getúlio Vargas durante o Estado Novo (1937-1945). Esse foi um período marcante na história nacional. Instituído oficialmente em novembro de 1937, marcou, sem dúvida alguma, a inserção de uma nova cultura política no país que agregou as bases para a formação do atual Estado brasileiro. A criação de ministérios e a consolidação de suas legislações, direcionadas prioritariamente para as áreas educacionais e trabalhistas, configuram as principais atuações do Estado Varguista, que instituiu sob medida a chamada “cidadania do trabalho” como elemento definidor da cultura política em voga.

Nesse contexto histórico, Piquete se beneficiou com a expansão da Fábrica de Pólvoras, a geração de novos empregos e também com uma experiência educacional sem precedentes na região: visando a atender os filhos dos operários da Fábrica com formação técnica, sua administração criou uma Escola de Aprendizagem Industrial nos moldes do SENAI. No entanto, a fim de atender outras demandas e estender a oportunidade de estudos a todos os jovens da cidade, novas escolas e cursos foram criados. O resultado dessa experiência educacional chamou a atenção do então Ministro da Educação, Gustavo Capanema, que enviou a Piquete o pedagogo Lourenço Filho para constatar a excelência dos trabalhos educacionais aqui desenvolvidos. Durante o Estado Novo a Educação foi uma das principais preocupações do governo, visto que seu objetivo evidente era formar uma nação forte. Neste sentido, era interessante conscientizar a juventude em relação ao sentimento de civismo e depurar costumes sociais que pudessem interferir na construção de uma nova identidade nacional. A principal proposta do Estado era construir um consenso coletivo. A questão da formação da nacionalidade e da identidade nacional vinha ocupando espaço por todo o país e procurava fazer com que as instituições escolares fossem veículos para a propagação dessas idéias. As festividades constituíam um momento para que se mostrasse à sociedade idéias e valores já presentes no universo cultural daquela época. As festas cívicas contavam com a participação intensiva de operários da FPV, escolas, jovens e crianças, militares, representantes políticos e do clero, e eram amplamente divulgadas. A Semana da Raça terminava com o desfile de 7 de Setembro, data em que se comemora a Proclamação da Independência. As fotografias daquela época nos transmitem a idéia de ordem e disciplina, bem ao estilo das noções e concepções do Estado Novo. Representavam o ideal patriótico.

As fotos que ilustram esta página são da década de 1940, no Campo do Estrela.

Jornal "O Estafeta" - Piquete, SP
Agosto de 2010

 

Voltar

 

 

 

| Home | Contato | Cantinho Infantil | Cantinho Musical | Imagens da Maux |
l
Recanto da Maux | Desenterrando Versos | História e Genealogia l
l
Um Herói nunca morre l Piquete - Cidade Paisagem l
MAUX HOME PAGE- designed by Maux
2003 Maux Home Page. Todos os direitos reservados. All rights reserved.