PIQUETE - CIDADE PAISAGEM
TRADIÇÕES E FOLCLORE

FOLIA DE REIS

FOLIA DE REIS

Em várias culturas no mundo todo, a inclusão da dança nas celebrações religiosas era uma forma normal de prestar culto à divindade: a Bíblia nos diz que Davi dançava diante da Arca da Aliança; em Portugal, a folia era uma dança típica realizada ao som de pandeiro ou adufe, com várias pessoas cantando. A denominação das diferentes modalidades de folia se prende aos símbolos e motivos devocionais que distinguiam os vários grupos, surgindo assim, por exemplo, a Folia de Reis e a Folia do Divino...

A Folia de Reis é um auto, uma dramatização bastante complexa, com um cortejo dançante que tem como característica a história dos magos, tidos como reis do Oriente. Começa na noite do dia 24 de dezembro e perdura até o dia 6 de janeiro, ou mesmo até o dia 2 de fevereiro, festa de Nossa Senhora das Candeias (Candelária) ou das Luzes. O conteúdo básico da folia consiste na louvação ao Menino Deus e na representação dos magos que, guiados por uma misteriosa estrela, viajaram para Belém e com alegria chegaram até Jesus e a ele prestaram homenagem. Incluem-se, também, algumas figuras relacionadas a Herodes, que mentiu aos magos e quis matar o menino Jesus.

A Folia de Reis tem estrutura variável. Pode ser mais simples, com apenas tocadores e bandeireiro, até as mais complexas e numerosas, com um conjunto instrumental (sanfona, violão, violas, cavaquinhos, chocalhos, pandeiros, triângulos, bumbos, caixas e taróis) e palhaços. Vestidos de largas roupas de chitão colorido, com acrobacias, danças, declamações e brincadeiras, atraem numerosa assistência que, no final, os ajuda com pequenos donativos.

A presença dos palhaços na folia tem várias interpretações. Entre elas, seria uma representação dos soldados que, a mando de Herodes, disfarçavam-se e, imitando palhaços, seguiam os magos, com a finalidade de descobrir onde se encontrava o novo Senhor do Mundo. Esses disfarces serviam, também, para conquistar crianças e, assim, matá-las mais facilmente. Podem significar, ainda, no enredo da Folia, palhaços verdadeiros, que cuidavam de distrair os perseguidores de Jesus e desviá-los do crime. Há uma possibilidade desses palhaços serem os próprios demônios empenhados no extermínio das crianças. E uma outra, enfim, seriam os próprios Reis Magos disfarçados para se esquivarem de Herodes, depois de terem encontrado Jesus em Belém.

O esquema ou programa da folia de reis é, normalmente, o seguinte: cantoria inicial de saudação aos que recebem a folia; louvação ao Menino Deus com encenações dos reis, palhaços, etc.; agradecimento e despedida.

Os foliões são bem recebidos, pois, segundo a tradição, quem acolhe os reis visitantes é abençoado. Além de esmolas, destinadas a juntar fundos para as comemorações da festa dos Reis, os foliões são agraciados, após a apresentação, com comidas e bebidas oferecidas pelos que os recebem.

Texto publicado no Jornal "O Estafeta" - Piquete, SP
Dezembro de 2005

As fotos da página são de Lety, na Folia de Reis em Piquete, SP - Janeiro de 2006.
O fundo musical da página é gravação e edição de Lety, em janeiro de 2007.

voltar

| Home | Contato | Cantinho Infantil | Cantinho Musical | Imagens da Maux |
l
Recanto da Maux | Desenterrando Versos | História e Genealogia l
l
Um Herói nunca morre l Piquete - Cidade Paisagem l
MAUX HOME PAGE- designed by Maux
2003 Maux Home Page. Todos os direitos reservados. All rights reserved.